Bem vinda

Em Lisboa, o Bairro das Galinheiras será o espaço onde terão lugar palavras como integração, cidadania plena, partilha, inclusão, igualdade e equidade. NEAR é o projeto através do qual a AIDGLOBAL contribuirá para transformar uma realidade que, apesar de desfavorecida social e economicamente, é também culturalmente rica e caracterizada por uma identidade sui generis e inconfundível que marca as ruas, os muros e calçadas de um bairro diferente de qualquer outro . Aqui vivem imigrantes recém-chegados, maioritariamente dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), nomeadamente de São Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau. Por meio das atividades que planejamos realizar, esperamos ajudá-los no processo de integração para que se encontrem neste lugar e o sintam como seu.

CIDADANIA

Eu nostri Agentes Comunitários

Os Agentes Comunitários são cidadãos, membros de comunidades diaspóricas, que, através da formação dedicada às questões relacionadas com a migração e o asilo, tornaram-se verdadeiros agentes comunitários de integração dos recém-chegados.

  • Beymer Correia

    Beymer Correia

    “Sinto-me em casa em Portugal. Vim para cá por razões de saúde, mas agora sinto-me em casa. Sinto-me tranquilo. Temos acesso à Educação e, em termos políticos, Portugal transmite-me segurança.”

    “Estarmos em casa é termos os nossos direitos e não sermos excluídos”.

  • Sek Sar

    Sek Sar

    “Sentir-me em casa é sentir-me integrado”.

    “Pela minha condição de mobilidade, o processo de integração exigiu mais de mim porque sou pessoa imigrante e tenho dificuldades motoras. Eu costumo dizer que tive que me integrar duas vezes. Foi um desafio, mas eu gosto de desafios”.

    “Uma casa significa identificação cultural”

    “Sentir-se em casa é sentirmo-nos identificados com a nossa cultura”.

    “Estamos na terra como viajantes.”

  • Hamilton Ramos

    Hamilton Ramos

    “Em Vila Cardoso, convivemos como fazíamos em São Tomé e Príncipe. Conversamos, dançamos, ouvimos música, falamos de política.”

    “Em Portugal é muto difícil ter uma casa. Se eu não tiver determinados rendimentos eu não consigo comprar uma casa. Se o nosso país de origem fosse como Portugal em termos de saúde e educação, eu ficaria lá.”

    “Para me sentir em casa em Portugal precisaria de ter um acesso facilitado à Educação”.

  • Fernando Fonseca

    Fernando Fonseca

    "Este foi um ano intenso e agitado, mas eu olho para esta mudança para o Bairro das Galinheiras de forma positiva. Se a vida nos dá um limão, devemos fazer dele uma limonada.”

  • Victoriana Teixeira

    Victoriana Teixeira

    "Fico alegre por participar no Centro de Desenvolvimento Comunitário da Ameixoeira, onde desenvolvo artes manuais, aprendo muito."

  • Ana Lopes

    Ana Lopes

    “Na Dona Naide come-se a melhor cachupa da zona".

    “Sinto-me bem por estar em Portugal.”

    “Não nos falta saúde. Temos o mínimo de condições para viver”.

    “Sentir-me em casa é estar em segurança. Aqui eu saio sem medo”.

    A comunidade é completa. Temos todos os serviços disponíveis. Seria bom termos acesso ao metro.”

  • Djalili Folisseni

    Djalili Folisseni

    “O meu lugar secreto é uma árvore que fica ao lado da Mesquita, onde vou conversar com os meus amigos de Benim e do Togo.”

    “O mais difícil é o apoio à habitação.”

    “Santa Clara tem aspetos positivos, como o facto de ter uma Mesquita. Como sou Muçulmano, lá eu consigo experienciar o sentimento de estar em casa”.

  • Hiordanes Correia

    Hiordanes Correia

    “Um dos meus sítios favoritos é o Hospital das Forças Armadas. Eu vim para Portugal por junta médica, e foi neste hospital que foram feitos os tratamentos que salvaram a minha vida. Sem a nossa saúde, nós não somos nada.”

    Mapa da Zona 2 de Lisboa

    Dentro deste mapa você encontrará locais de interesse e pontos de referência para os cidadãos recém-chegados.

     

    Visita la mappa

    CRIANÇAS E MENINOS

    Atividades e oficinas

    O apoio a menores recém-chegados, em idade escolar obrigatória, concretizar-se-á através de workshops, laboratórios, passeios urbanos e eventos, que serão desenvolvidos em conformidade com as necessidades, previamente identificadas, dos alunos migrantes recém-chegados da Escola Maria da Luz de Deus Ramos.

    O plano de atividades a realizar com as crianças foi desenvolvido numa linha de comunicação com a Professora Fátima Cunha, Coordenadora da Escola mencionada supramente, que contribuiu para a identificação de um conjunto de necessidades que atravessam o processo de integração das crianças na comunidade escolar e local. Esta articulação permitiu desenvolver ferramentas para a implementação de estratégias e instrumentos capazes de contribuir para a promoção da inclusão dos alunos.

    As atividades previstas, no âmbito da intervenção junto das crianças desta Escola, serão desenvolvidas em torno dos seguintes eixos de intervenção:

    Eixo 1 – “Common homes” – Consiste no desenvolvimento de atividades dinâmicas e artísticas entre as crianças imigrantes recém-chegadas e os alunos portugueses, através da apresentação dos alunos, dos seus países de origem e das suas tradições;

    Eixo 2 – “Common places” – Atividades de passeios urbanos;

    Eixo 3 – “Neighbourhood and Labs”, que trabalha as relações dos alunos com a escola, famílias e comunidade local.

    ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS

    Estudantes estrangeiros e estudantes do sexo feminino

    A orientação de estudantes universitários recém-chegados de países terceiros está a ser desenvolvida em colaboração com o Iscte – Instituto Universitário de Lisboa.

    O plano de atividades foi criado numa linha de comunicação com a Professora Dra. Ana Raquel Matias, responsável pelo projeto “Trovoada de Ideias - Inclusão Linguístico-social dos Estudantes dos PALOP no Ensino Superior Português”, integrado no CIES-Iscte e com a Professora Dra. Cristina Santinho, responsável pelo projeto “Living in a Different Culture”, integrado no CRIA-Iscte. As professoras contribuíram para a identificação de um conjunto de necessidades que atravessam o processo de integração de estudantes de países terceiros. Esta articulação permitiu desenvolver ferramentas para a implementação de estratégias e instrumentos de promoção da inclusão destes estudantes.

    Eixo 1 - Levantamento de necessidades de estudantes de países terceiros através de um inquérito;

    Eixo 2 – Orientação ao nível da língua portuguesa funcional através da criação de mapa dentro e fora do campus universitário;

    Eixo 3 – Capacitação na procura de emprego;

    Eixo 4 – Elaboração de um manual de boas-vindas;

    Eixo 5 – Eventos culturais.

    O objetivo é contribuir para a inclusão destes alunos, em estreita articulação com a Universidade, e promover, em simultâneo, a valorização da cultura e a diversidade no tecido universitário, proporcionando um ambiente de envolvimento com a Instituição de Ensino Superior, os seus alunos e docentes bem como com a cidade de Lisboa.

    “Being a Community Agent: Guidelines and Strategies for Collaborating with the Community” is the motto of the cycle of sessions aimed at training community agents, which began on November 13 at the headquarters of the Association of Lusofonia, Cultura e Cidadania (ALCC), located in Ameixoeira, in Lisbon.

    The initiative is promoted by AIDGLOBAL – Action and Integration for Global Development, within the scope of the “NEAR – NEwly ARrived in a common home” project, and runs from November 13th to December 18th, 2021, with the purpose of informing and empowering participants for a sustained and informed orientation of newly arrived migrants.

    The first session, held at the premises of the ALCC, in Lisbon, had 12 people registered and favored a set of contents dedicated to the first guidelines that are necessary for the reception of a migrant person. Topics such as general basic needs, including housing, employment or school, in the case of minor migrants; the first bureaucracies, such as those involving the request for the Taxpayer Number or access to the labor market, were some of the main themes highlighted.

    First Training for Community Agents

    The opening of the initiative was marked by a brief introduction and contextualization of the NEAR project and Training by Cátia Sousa, Project Technician at AIDGLOBAL, who was succeeded by trainer Verena Melo, responsible for transmitting the aforementioned contents. The action was also attended by the AIDGLOBAL Animator, Maria Pacheco, and with the support of Sek Sar, an experienced community agent who has been supporting AIDGLOBAL within the scope of the NEAR project, namely by supporting the dissemination of this moment formative.

    “NEAR – NEwly ARrived in a common home” is a European project funded by the European Commission, under the Asylum, Migration and Integration Fund (AMIF) with the ISMU Foundation as a promoter and as partner entities Tamat, CARDET, and AIDGLOBAL and the Università Cattolica del Sacro Cuore. In Portugal, this project is being developed in the city of Lisbon, namely in the district of Galinheiras, located in the parish of Santa Clara.

    First Training for Community Agents

    AIDGLOBAL ― Action and Integration for Global Development is a non-profit Non-Governmental Organization for Development (NGDO), which develops and promotes projects within the scope of Education for Development and Global Citizenship in Portugal and programs within the scope of Literacy in Mozambique. Its Mission aims to Act, Include and Develop through Education, because it believes that Change happens through Education.

    A rede no território

    Órgãos e Associações da Zona 2 que colaboram nas atividades do projeto:

    Local Actions